Archiv Sendungen

>>

LoRa Frequenzen

Luft FM 97,5 MHz
Kt. Zürich (Kabel) 88,1 MHz
Winterthur, Etzel,
Oberland (Kabel)
102,35 MHz
Zug (Kabel) 99,1 MHz
DAB+ Kanal 9A
202.928 MHz

LoRa Newsletter

Neuigkeiten aus dem LoRa kostenlos per E-Mail:

Newsletter abonnieren.

Auf lora.ch suchen

Social Media

facebook LoRa twitter LoRa youtube LoRa

Jobs bei Radio LoRa

  • Praktika bei LoRa >>
The No Billag-Initiative will be the end for Radio LoRa, the oldest non-commercial radio station in Switzerland
No NoBillag Web
Should the confederate popular initiative «No Billag» be accepted on March 4th 2018, Radio LoRa could not continue to exist in its current form and would have to terminate its services in January 2019.

The «No Billag»-initiative intends to implement into the constitution a strict ban on subsidies for radio and television. This amounts to a prohibition of any kind of public funding for the media in the future – starting from 1st January 2019. The result will be a complete privatisation of radio and television in Switzerland.

According to the initiative-text, the licences – i.e. broadcast rights – of all programmes that have been licence-fee financed up until today are going to expire in 2019. Henceforth, the licences are supposed to be auctioned of to the highest bidder.

The acceptance of the «No Billag»-initiative will not only concern the SRG/SSR as one of the largest employers of the region: 34 local programmes from all over Switzerland will cease to exist together with SRG/SSR – amongst them the complementary radio stations like Radio LoRa, pioneer of non-commercial radio broadcasting in Switzerland.

For Radio LoRa an abolition of public broadcasting licence fees means a loss of 70-80% of its revenues . With our restricted financial means, we will not be able to participate in the auction sale of licences/broadcast rights.

 

5 reasons to vote “No” on «No-Billag» from a Zurich perspective:

1) Say «No» to the «No-Billag»-initiative… because non-commercial radios ensure diversity.

The Union of Non-Commercial Local Radio Stations UNIKOM conjoins eighteen radio stations, amongst them Radio LoRa. The UNIKOM-radio stations offer a platform for programmes in 30 different languages, for non-mainstream music programmes, for local culture and coverage of local events. Furthermore, they report from the perspective of otherwise underrepresented social groups, they experiment with innovative radio formats and broadcast critical background reports.

At Radio LoRa in Zurich 300 radio broadcasters produce their own programmes in voluntary work and in 20 different languages. Radio Lora offers a media platform to minority voices: migrant communities,women and all those who are being marginalised on account of income, gender identity, or physical constraints.

Therewith, Radio Lora contributes to an open and pluralistic society.

 

2) Say «No» to the «No-Billag»-initiative… because it also means a loss of educational institutions.

Today, the non-commercial radio stations and their common radio school Klipp & Klang are valuable educational institutions for media producers. Since community radios provide low-threshold access and are organised bottom-up, they offer a first entry to work in the media to a lot of people. To produce a programme in non-commercial radio promotes media competence and gives practical insights into how independent media contribute to an open society – beyond the paradigm of market-orientated commercial media outlets.

Only with a public mandate can this educational task be maintained: only independent media can train independent journalists.

 

3) Say «No» to the «No-Billag»-initiative… because it deprives young local musicians of a platform.

With the acceptance of the initiative, young talents will lose an important platform for their music: Radio LoRa and other non-commercial radio stations are the first to play play young local music. Furthermore, independent electronic media outlets are often-times the only partners for clubs and small music festivals.

Especially the alternative music scene is about to lose a platform that promotes artistic work beyond the mainstream. The «No Billag»-initiative will be the end for alternative radio programmes like the «Indie-Block» which is very popular on several non-commercial stations. It offers a musical home for those who do not rank among the top-40-acts and without big advertising budgets to back them up.

https://blog.somexcloud.com/2017/12/09/aus-fuer-radios-bei-ja-zu-no-billag/

 

4) Say «No» to the «No-Billag»-initiative… because it means serious harm to local film-makers.

With the acceptance of the initiative, local film-makers will lose the SRG/SSR as the most important partner that hitherto contributed to the success of Swiss film-making by offering financial support and know-how. In general, the initiative hurts film-makers because up to now a share of fee revenues were used to fund film projects. Zurich is proud of ist film scene with good reason – but the «No Billag»-initiative will pull the carpet from under its feet.

 

5) And last but not least: To reject «No-Billag»-Initiative is a matter of preventing the eradication of independent media.

Independent and diverse media are a core value of a solidarity-oriented society that ought to be defended. It is absolutely legitimate and necessary to discuss media politics and the public mandate. But one ought not forget that the free access to independent information and media are a fundamental democratic right.

A prohibition of public media equals a prohibition of postbus-service in the mountain valleys of Graubünden, a prohibition of the regional train service in Tösstal or the public open-air baths in Zurich – they all would not be able to operate on a cost-covering base – and are therefore reliant upon joint financing through society. So we all can all benefit from them.

 

A iniciativa No Billag significa o fim da Radio LoRa, a rádio comunitária não comercial mais antiga da Suíça.

No NoBillag Web 

Caso a iniciativa nacional «No Billag» seja aprovada no próximo 4 de março de 2018, a Rádio LoRa pode deixar de existir como a conhecemos. Em outras palavras, ela provavelmente terá seu funcionamento suspendido a partir de 1 de janeiro de 2019.

A iniciativa «No Billag» prevê a proibição constitucional de subvenções para rádio e televisão, o que significa que no futuro o governo federal não pode mais fomentar nem promover os meios de comunicação. Isso represente a privatização total dos meios de comunicação de rádio e TV.

Todas as concessões de programas e frequencias, que contam atualmente com uma subvenção estatão, serão suspensas. Segundo a iniciativa, as frequencias e concessões serão leiloadas.

Em caso de uma aprovação da iniciativa, não só a SRG/SSR (Sociedade Suíça de Rádio e TV), uma das maiores fontes de trabalho da região, desaparece. Outras 34 emissoras de Rádio e TV também despareceriam, entre elas a LoRa, pioneira como uma rádio não comercial na Suíça.

A subvenção federal representa aproximadamente 80% do orçamento da associação. 

 

Petição: Radio LoRa não pode morrer! ASSINE AGORA!

 

5 razões para um NÃO para a iniciativa «No-Billag», do ponto de vista de Zurique:

 

1) Não para o «No-Billag», porque as rádios não comerciais garantem a diversidade social

A União das Radios locais e não comerciais UNIKOM agrupa 18 Rádios na Suíça, entre elas a LoRa. Estas iniciativas oferecem uma plataforma para programas em 30 idiomas diferentes, para programas especializados em cultura e informação local. Estas rádios informam desde a perspectiva de grupos sociais que normamente não são representados na sociedade suíça. 

Na Lora são cerca de 300 pessoas que trabalham de forma voluntária e que produzem programas em 20 diferentes idiomas. A Rádio LoRa é uma plataforma para todas as pessoas que normalmente não teriam espaço nos meios comerciais - imigrantes, mulheres e para todas as pessoas que devido a sua condição social, identidade de gênero ou limitações são marginalizadas na sociedade. A LoRa é um importante espaço para uma sociedade mais aberta e plural.

 

2) Não para o «No-Billag», porque os espaços de formação profissional também se perderão

Hoje em dia, tanto as emissoras de rádio independentes como a escola de rário Klipp&Klang são importantes espaços para a formação de jornalistas e outros profissionais de mídia. Além disso, as rádios não comerciais se organizam de maneira participativa e possibilitam, dessa forma, o primeiro contato de muitas pessoas com os meios de comunicação. O trabalho como radialistas promove as competências mediais e oferece experiêcia concreta que somente os meios indepententes podem oferecer para a sociedade, em contração das lógicas do mercado capitalista. 

Somente o apoio federal pode garantir a formação de profissionais independentes e apenas os meios de comunicação independentes podem promover eset tipo de formação.

 

3) Não para o «No-Billag», porque a iniciativa acaba com uma plataforma importante para novos músicos e artistas locais

 

No caso de aprovada a iniciativa, músicos locais perderiam uma plataforma fundamental para sua música. A LoRa e outras rádios não comerciais são um espaço para a promoção de músicos jovens e artistas locais. Para clubes e pequenos festivais de música, os meios de comunicação locais e independentes são suas únicas parceiras midiáticas.

Especialmente o cenário da música alternativa perderá uma plataforma que promove o trabalho artístico fora do cenário comercial. O «No Billag» acabará com os programas de rádio alternativos, como o «Indie-Block» que é muito popular em diversas emissoras não comerciais. Ele oferece música local que não estão entre os Top 40 do mercado, sem recursos de publicidades para apoia-los. 

https://blog.somexcloud.com/2017/12/09/aus-fuer-radios-bei-ja-zu-no-billag/

 

4) Não para o «No-Billag», porque a iniciativa afeta os cineastas

Em caso de aprovada, os cineastas perderão o SRG/SSR, um dos principais parceiros que contribuiu para o sucesso do cinema suíço, oferecendo suporte financeiro e know how. Em geral, a iniciativa prejudica os cineastas, porque uma parte dos recursos é destinada para financiar projetos cinematográficos. Zurique se orgulha da sua produção cinematográfica e perderá certamente este status.

 

5) E finalmente: quando apelamos pelo NÃO ao «No-Billag», queremos proteger os meios independentes da guilhotina

A variedade e independência dos meios de comunicação é um valor central das sociedades solidárias que temos que defender. É absolutamente legítimo e necessário discutir a política sobre os meios de comunicação e as concessões. Mas não devemos esquecer que o acesso a livre informação e mídia é um direito democrático fundamental.

A proibição dos meios de comunicação públicos é como proibir as linhas de ônibus geridos pela empresa de correio - Post -, nos vales de Graubünden, a proibição do serviço regional de trem em Tösstal ou os banhos públicos em Zurique. Eles não teriam como operar sem o apoio estatal, ou seja, sem o financiamento da sociedade, para garantir o serviço à população. Então, é o mesmo no caso das rádios comunitárias e não comerciais.

 

Veja aqui mais argumentos contra o «No Billag»:

https://nein-zu-nobillag.ch/argumentarium/

 

Quer apoiar a campanha?

Doações para o comitê local «Nein zu NoBillag»

https://zuerich.nein-zu-nobillag.ch/spenden/

 

Você também pode apoiar o comitê regional l «Nein zu NoBillag» - como conferencista ou como porta voz contra o «No Billag»

https://zuerich.nein-zu-nobillag.ch/aktiv-werden/

Die Mitgliederversammlung des Vereins Radio LoRa hat schon von einiger Zeit stattgefunden.

Gerne möchten wir es hiermit veröffentlichen:

Die finales Protokoll vom MV 2017

 

Die aktuelle Konzession (Sendeerlaubnis und Sendeplatz) läuft per 31.12.2019 aus. Das BAKOM erteilt Radio LoRa nur dann eine neue Konzession, wenn bis dann Inhaberin der Konzession (bis Dato Stiftung) und Betreiberin des Radios (Verein) ein und dieselbe juristische Organisation ist! Darum suchen wir eine neue Struktur fürs Radio LoRa.

Links zum mehr Infos:

Eine neue Struktur fürs LoRa

Chronologischer Ablauf Umstrukturierung

Provisorische Dokumente neue Struktur LoRa

Wir laden euch herzlich ein zur obligatorischen Mitgliederversammlung (MV) des Vereins Radio LoRa – alternatives Lokalradio Zürich. Diese findet statt am

Samstag 22. April, 13.00 – 17.00 Uhr im Casa d‘Italia, Erismannstrasse 6, 8004 Zürich.

Teilnahme- und stimmberechtigt ist nur, wer den Mitgliedschaftsbeitrag 2017 bezahlt hat. Gemäss Hausordnung muss mindestens eine Person pro Sendegefäss an der MV vertreten sein. Jedes Mitglied hat eine Stimme. Stellvertretung ist möglich, kein Mitglied darf jedoch mehr als zwei Stimmen abgeben. Die Stellvertretung muss schriftlich legitimiert sein.

Provisorische Traktandenliste (vorbehältlich Eingaben von Mitgliedern):

  1. Konstituierung der Sitzung: Begrüssung, Stimmrecht, Wahl der Stimmenzähler*innen
  2. Abnahme des letzten Protokolls und Genehmigung der Traktandenliste
  3. Jahresbericht Radio LoRa 2016
  4. Jahresrechnung Verein Radio LoRa 2016
  5. Décharge des Vorstands und der Sendekommission
  6. Wahl des Vorstands und der Sendekommission
  7. Ausblick Jahresplanung und Budget 2017
  8. Sendekommission: Qualitätsmanagement
  9. Antrag von neuem Gremium gegen Sexuelle Belästigung im LoRa: Anpassung Hausordnung
  10. die neue Struktur von Radio LoRa wird vorgestellt und darüber abgestimmt
  11. (Diskussion über möglichen Umzug ins Zollhaus)
  12. Anträge von Mitgliedern & Varia

Vereinsmitglieder können weitere Traktanden eingeben: per Brief an: Vorstand Radio LoRa, Militärstrasse 85a, 8004 Zürich oder per Mail an Diese E-Mail-Adresse ist vor Spambots geschützt! Zur Anzeige muss JavaScript eingeschaltet sein!. Bis spätestens am Montag 10. April 2017

Traktanden MV Verein Radio LoRa

Anpassungen Hausordnung

LoRa _Protokoll von 2016